Os jogos de luta têm mais representação feminina hoje do que na década de 90?

Há alguns dias, a crítica de games feminista Anita Sarkeesian lançou um vídeo novo em seu canal Feminist Frequency (https://www.youtube.com/channel/UC7Edgk9RxP7Fm7vjQ1d-cDA) falando sobre a falta de variedade de representação de corpos femininos em videogames, argumentando que os homens têm uma variedade imensa de representações físicas de acordo com suas personalidades e características, mas as mulheres continuam presas ao padrão social estabelecido pela sociedade patriarcal. Eu, de cima da minha montanha de privilégios masculinos, não poderia explicar melhor do que ela, então tá aqui um link pro vídeo (em inglês): https://www.youtube.com/watch?v=qbqRtp5ZUGE

No entanto, o vídeo dela imediatamente me fez pensar nos jogos de luta, nos quais estou profundamente viciado atualmente. A princípio, pensei que a representação feminina nos jogos de luta havia melhorado um pouco desde os anos 90. Afinal de contas, jogos de luta costumavam ter apenas uma personagem feminina, cuja característica proeminente era ser mulher (o mesmo canal tem outro vídeo sobre o que chama de “Princípio Smurfette”, neste link: https://www.youtube.com/watch?v=opM3T2__lZA). Hoje os jogos têm muito mais mulheres em sua lista de personagens, certo? Até mesmo no Mortal Kombat as garotas usam mais roupa hoje, certo? Certo?

Nhééééé… mai o mêno né…

mortal-kombat-characters

Como um experimento para aplicar a teoria do vídeo, escrevi em meu caderno todos os personagens dos jogos de luta que gosto atualmente: as versões mais atuais das franquias Street Fighter, Mortal Kombat e Killer Instinct (a partir daqui referidos como SF, MK e KI, respectivamente). O resultado não foi muito surpreendente. Sim, lá nos anos 90, cada um desses jogos tinha apenas uma representante feminina (Chun-Li em SF, Sonya Blade em MK e Orchid em KI, introduzindo algumas novas personagens em versões subsequentes, como as ninjas Kitana e Mileena em MK2 ou a agente Cammy em Super SF2), mas os jogos daquela época tinham elencos muito pequenos em comparação com os atuais. SF possuía oito personagens jogáveis, MK apenas sete. Agora, vejam só: SF5 possui 21 personagens até o momento, e 14 deles são homens. O novo KI possui quase a mesma proporção: 17 personagens homens para oito mulheres. Mortal Kombat XL é ainda mais grave: temos sete mulheres para 24 homens.

Triste, sim, mas ainda não chega ao ponto do vídeo de Sarkeesian. A quantidade de representantes femininas é muito menor, o que já é um problema, mas e quanto às representações em si? Será que apenas um tipo de corpo ou de representação feminina é o dominante? Vamos fazer uma comparação, começando pela franquia mais famosa e com maior base de jogadores, Street Fighter.

Birdie é um punk britânico que já passou da flor da idade e ostenta uma bela pança de chope, mas que reflete isso em seu estilo de luta centrado em agarrões e movimentos lentos, porém fortes.

Birdie é um punk britânico que já passou da flor da idade e ostenta uma bela pança de chope, mas que reflete isso em seu estilo de luta centrado em agarrões e movimentos lentos, porém fortes.

Necalli teve seu design baseado na mitologia asteca, e seu especial o transforma num monstro de cabelos vermelhos brilhantes.

Necalli teve seu design baseado na mitologia asteca, e seu especial o transforma num monstro de cabelos vermelhos brilhantes.

F.A.N.G. trabalha como assassino e segundo em comando da organização Shadaloo, os maiores vilões da série, e tem uma figura alta, magra e misteriosa.

F.A.N.G. trabalha como assassino e segundo em comando da organização Shadaloo, os maiores vilões da série, e tem uma figura alta, magra e misteriosa.

Beleza, parece bem variado e temos personagens interessantes aqui. Vamos dar uma olhada nas garotas?

Chun-Li é uma oficial da polícia chinesa. Ela é magra e esbelta.

Chun-Li é uma oficial da polícia chinesa. Ela é magra e esbelta.

Cammy faz parte das Forças Especiais do exército britânico. Ela é magra e esbelta.

Cammy faz parte das Forças Especiais do exército britânico, e é minha personagem favorita na série desde que me conheço por gente. Ela é magra e esbelta.

Laura é uma capoeirista brasileira capaz de criar raios elétricos com as mãos. Ela é magra e esbelta.

Laura é uma capoeirista brasileira capaz de criar raios elétricos com as mãos. Ela é magra e esbelta.

Errrrr. Bom, Street Fighter é japonês, certo? Talvez seja algo cultural. Vamos dar uma olhada nas outras franquias e ver se essa regra ainda se aplica? Façamos a mesma comparação em Mortal Kombat XL. Este jogo colocou roupas nas personagens femininas, coisa bem rara em Mortal Kombat, e tem até mesmo um personagem gay. Deve ter representações melhores, certo?

Reptile é o último sobrevivente da raça dos zaterranos, uma das muitas raças vindas de Outworld. Como seu nome explica, ele é um réptil.

Reptile é o último sobrevivente da raça dos zaterranos, uma das muitas raças vindas de Outworld. Como seu nome explica, ele é um réptil.

Goro é um representante dos Shokan, outra raça vinda de Outworld, característica por possuir quatro braços.

Goro é um representante dos Shokan, outra raça vinda de Outworld, característica por possuir quatro braços.

Ferra e Torr fazem parte de uma raça simbiótica que também é quase extinta em Outworld. Torr é um camarada BEM grande.

Ferra e Torr fazem parte de uma raça simbiótica que também é quase extinta em Outworld. Torr é um camarada BEM grande, e Ferra o ajuda montada em suas costas.

Ok, pra ser bem honesto, Mortal Kombat XL tem poucas variações de tipos masculinos também, mas ainda assim tem mais do que de tipos femininos:

Cassie Cage é filha de Johnny Cage e Sonya Blade, e sargenta nas Forças Especiais. Ela é magra e esbelta.

Cassie Cage é filha de Johnny Cage e Sonya Blade, e sargenta nas Forças Especiais. Ela é magra e esbelta.

Jacqui Briggs é filha do major Jax, e também membro das Forças Especiais, além de ser possivelmente a única mulher negra em todos os jogos de luta. Ela também é, infelizmente, magra e esbelta.

Jacqui Briggs é filha do major Jax, e também membro das Forças Especiais, além de ser possivelmente a única mulher negra em todos os jogos de luta. Ela também é, infelizmente, magra e esbelta.

D'Vorah é a segunda em comando em Outworld, e pertence à raça dos Kytinn, insetos humanóides. Ela é a personagem feminina mais diferente do elenco. No entanto, lembrando das aulas de biologia, é incrível como exoesqueletos quitinosos podem ter formado SALTOS ALTOS naturalmente. Ela também é, naturalmente, magra e esbelta.

D’Vorah é a segunda em comando em Outworld, e pertence à raça dos Kytinn, insetos humanóides. Ela é a personagem feminina mais diferente do elenco. No entanto, lembrando das aulas de biologia, é incrível como exoesqueletos quitinosos podem ter formado SALTOS ALTOS naturalmente. Ela também é, como de costume, magra e esbelta.

Então, Mortal Kombat não apenas deixa a desejar nos números, tendo uma proporção absurda de personagens masculinos, mas também tem um problema de representação (e, sendo justo, neste caso é em ambos os sexos). A gente precisa ir pro Killer Instinct (o mais novo, lançado em 2013, não o original de 1994) para ver um pouco mais de variedade. Killer Instinct, no entanto, realmente vai longe com o lance de variedade em tipos de personagens e pura mistureba de coisas, então existe uma possibilidade de que a variedade feminina seja resultado da criação de personagens mais doida, que vai desde os artistas marciais, boxeadores e agentes secretos padrões até… bom… dêem uma olhada:

Sabrewulf é um aristocrata alemão que acidentalmente se transformou em um lobisomem.

Sabrewulf é um aristocrata alemão que acidentalmente se transformou em um lobisomem.

Spinal era um pirata da antiga Babilônia que encontrou uma máscara poderosa que o permite viver para sempre, mesmo depois de ter ateado fogo no próprio corpo.

Spinal era um pirata da antiga Babilônia que encontrou uma máscara poderosa que o permite viver para sempre, mesmo depois de ter ateado fogo no próprio corpo.

Hisako é a fantasma de uma filha de um Ronin, que voltou dos mortos para se vingar de seus algozes.

Hisako é a fantasma de uma filha de um Ronin, que voltou dos mortos para se vingar de seus algozes.

Riptor é uma dinossaura fêmea (isso mesmo, não tô brincando) criada em laboratório pela empresa Ultratech com uma mistura de DNA humano e réptil.

Riptor é uma dinossaura fêmea (isso mesmo, não tô brincando) criada em laboratório pela empresa Ultratech com uma mistura de DNA humano e réptil.

Kan-Ra é um vizir e feiticeiro da Babilônia que se mumificou e ressuscitou em tempos modernos.

Kan-Ra é um vizir e feiticeiro da Babilônia que se mumificou e ressuscitou em tempos modernos.

Então, é, eu acredito que Killer Instinct tem algumas personagens femininas menos padrão porque o jogo é completamente maluco. No entanto, mesmo Killer Instinct não consegue fugir completamente do “magra e esbelta”, com personagens como Sadira, Orchid e Maya, e não é como se as garotas fossem se identificar com um dinossauro (acho… vai saber, né?). E a realidade é que essa representatividade não é um problema apenas dos games de luta, e sim da mídia como um todo, mas os jogos de luta, com seus elencos extensos de personagens coloridos e chamativos, são provavelmente os melhores exemplos para evidenciar o problema. Outros jogos que possuem seleções de personagens, como o Overwatch ou o League of Legends, mencionados no vídeo, também são bons exemplos.

Para ficar bem claro, ninguém (nem eu, nem Anita Sarkeesian) estamos dizendo que nenhum dos jogos mencionados são ruins. Como ela mesma diz no início de quase todos seus vídeos, “é possível, e até mesmo necessário, gostar de um tipo de mídia e simultaneamente ser crítico de seus aspectos mais problemáticos ou perniciosos”. No entanto, ignorar o fato de que mulheres de variados tipos e formas de corpo não são representadas também nos games reforça preconceitos, não apenas no que diz respeito a desejos sexuais da audiência masculina predominante desta mídia, mas também no que diz respeito ao próprio reconhecimento destas mulheres como pessoas dignas de representação. Isso acaba se refletindo na comunidade, ao observarmos que num campeonato do tamanho da EVO Championship Series, eu só consigo me lembrar de uma competidora profissional (coincidência ou não, jogadora de Killer Instinct). Se quisermos que mais pessoas entendam e participem de nosso hobby (ou comunidade profissional) favorito, temos que abrir as portas e tê-las representadas em nossos games também.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s