Em defesa da lanterna de Doom 3

É, eu gosto de Doom. Isso é um eufemismo, na realidade. Uma franquia de jogos de tiro dedicada à liberação sistemática de testosterona via toletes de chumbo na cara de demônios do inferno, com uma trilha sonora chupinhada de clássicos do heavy metal? E eu sou um daqueles nerds antissociais que vive tentando parecer mauzão, só tem roupa preta no armário e prefere mil vezes um bate cabeça e um filme de terror a uma baladinha? Parece que esses jogos foram feitos pra mim!

doom1

Continuar lendo

Outlast

outlast-02

YES! O terror voltou!

Deixe-me esclarecer: jogos de horror andaram em baixa nos últimos tempos. Ou melhor, todos os jogos de horror esqueceram do que significa ser um jogo de horror. Silent Hill, minha franquia favorita, se vê perdida tentando incorporar mais elementos de ação e tentando deixar o combate mais satisfatório. Resident Evil, que Deus o tenha, afundou de vez com o sexto capítulo, tentando ser quatro jogos diferentes e falhando em ser todos eles. Outras franquias desapareceram, como Fatal Frame, Siren e Haunting Ground. O único lugar onde poucos jogos de terror ainda estavam fazendo certo sucesso é no círculo independente, onde Slender tomou de assalto os virais do Youtube e transformou sustos em moda.

Continuar lendo

Silent Hill 2

Claro que a abertura do nosso novo blog não poderia começar com outro post. Eu preciso obviamente explicar o porquê do nome. O nome vem de Silent Hill 2. Lakeside é o nome do prédio residencial pelo qual James precisa passar para chegar ao Rosewater Park. E eu escolhi esse nome porquê, além de soar bem, ele vem do meu jogo favorito. Silent Hill 2 é o melhor jogo que já joguei na vida. E não posso abrir o blog sem explicar por que.

Continuar lendo